Doar sangue. O gesto é tão importante que tem duas datas para lembrar: 14 de junho (Dia Mundial do Doador de Sangue), homenagem ao austríaco Karl Landsteiner, imunologista que descobriu o fator Rh. E 25 de novembro, Dia do Doador Voluntário de Sangue, no aniversário da fundação da Associação Brasileira de Doadores Voluntários de Sangue. Salvar vidas merece mesmo dupla celebração.

Que o diga a advogada Roseli Trazzi, 54 anos: “A sensação é maravilhosa. Saber que um gesto seu, tão simples e tão rápido, pode salvar vidas é emocionante”. Ela é doadora há 18 anos, desde que seu marido faleceu por leucemia. “Ele lutou bravamente por dois anos, período em que precisou de muitas transfusões de sangue e plaquetas. Presenciei diversas situações de necessidade de doadores naquele momento da minha vida”, lembra.

Roseli nunca mais parou de doar: “Minha última doação foi final do ano passado. Fraturei o punho em abril e precisei fazer cirurgia, assim vou demorar um pouco mais pra doar novamente, mas logo que eu puder irei com o maior prazer do mundo”.

Prazer em ajudar é a motivação também de Claudia Hernandez, 57 anos, servidora pública estadual: “Eu me sinto muito bem, é muito gratificante poder ajudar as pessoas. Acredito que é tão simples, não me custa nada e é tão importante para quem necessita. Sou doadora por que me faz bem ser útil”.

Ah, se todos pensassem como Roseli e Claudia… Dados do Ministério da Saúde apontam que apenas 1,8% dos brasileiros doam sangue regularmente, quando o ideal seria entre 2% a 5%, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). É por isso que os bancos de sangue operam sempre no limite. E incentivamos a conscientização.

DOE SANGUE
O sangue doado ajuda a manter em funcionamento os atendimentos de urgência, emergência e cirurgias dos hospitais, que mantém também estoques de plaquetas para o controle de sangramentos e tratamentos contra o câncer, por exemplo. É importante ressaltar que o sangue não tem substituto industrial, não há como fabricar ou comprar. Cada gota faz a diferença.

Cristina Sato, 47 anos, da área financeira do Instituto Pró-Livro, sabe disso. Ela é doadora voluntária na Casa de Saúde de Santos: “Desde criança ouço e vejo no noticiário que os estoques de sangue estão sempre baixos e eles fazem campanha para o pessoal doar. Nos últimos anos, ouvi falar sobre a talassemia (anemia hereditária), em que as pessoas precisam de muita transfusão. É a pura necessidade, né? E o pessoal tem medo de doar”.

Para Cristina, é um medo infundado: “Doar é tão tranquilo que, por mim, doaria toda semana sem problema algum. Eu não me importo com nada, com tamanho da agulha… eu deito lá e relaxo, fico vendo TV. Pra mim, é muito simples, não dá trabalho algum e você ainda ganha um lanche depois”.

Se animou? Veja como doar sangue:

COMO DOAR
Para doar sangue é necessário, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS):
– Homens e mulheres, ter entre 16 e 69 anos (menores devem ter autorização e maiores de 60 anos devem ter doado ao menos uma vez antes de completar a idade)
– Ter acima de 50 quilos;
– Estar em boas condições de saúde (em caso de gripe, resfriado ou febre, esperar no mínimo sete dias para poder doar)
– Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas
– Levar documento de identidade original com foto recente.
MAIS INFORMAÇÕES 

VOCÊ SABIA QUE:
1. Cada doação (450ml) pode salvar até quatro vidas.

2. Uma bolsa de sangue serve para vários usos: SANGUE total (traumas e cirurgias), HEMÁCIAS (trauma, cirurgia, anemia, perda e distúrbios sanguíneos, plaquetas), PLAQUETAS (tratamentos oncológicos, transplantes e cirurgias), PLASMA (queimaduras, choques e distúrbios de coagulação), CRIO (Hemofilia e distúrbios de coagulação)

3. Não demora: doar sangue leva, na primeira vez, duas horas e, nas seguintes, entre 60-75 minutos. São cinco etapas: cadastro, triagem clínica (teste de anemia, verificação da pressão arterial, batimentos cardíacos, peso, temperatura e questionário sobre sua saúde), voto de autoexclusão, a doação em si e lanche pós-doação.

4. Não é preciso estar em jejum: você precisa ter feito uma alimentação leve nas três horas que antecedem a doação.

5. Quem doa sangue tem direito a uma folga anual, prevista no artigo 473 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), mediante apresentação de atestado.

6. O sangue representa cerca de 7% do peso de um adulto e o volume coletado não ultrapassa 10-15% da quantidade de sangue que o doador possui, volume este reposto pelo organismo em até 24 horas após a doação.
MAIS INFORMAÇÕES – Para saber onde doar sangue, acesse AQUI

Siga-nos ou curta este Post
error0

Não somos um seguro ou plano de saúde

https://www.linkedin.com/company/filoo/Não somos um seguro ou plano de saúde

Termos de uso

Política de privacidade

Termos de uso

Política de privacidade
Política de privacidade

Warning: Use of undefined constant blog - assumed 'blog' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /var/www/html/wp-content/themes/filoo/single.php on line 174

Filóo - Todos os direitos reservados