Seu filho está brincando feliz com os amigos, corre pra cá, pra lá e, de repente: mão no peito, falta de ar, chiados, muita tosse. Vixe, lá vai você com a bombinha de ar socorrê-lo em mais uma crise de asma. Como ele, são 300 milhões de asmáticos no mundo, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo 6.4 milhões de pessoas só no Brasil.

Para alertar sobre a doença, em 21 de junho celebra-se o Dia Nacional de Controle da Asma, data que marca o início do inverno, quando sintomas se agravam com as baixas temperaturas.

O que é a ASMA?

A asma é uma doença inflamatória crônica nos brônquios, tubos que levam o oxigênio até os pulmões. Imagine vários “canudinhos” que, por causa da inflamação, se estreitam e dificultam a passagem de ar. Por isso, quando a crise bate, a pessoa se põe a arfar e tem muita dificuldade para respirar.

Classificada em quatro graus (intermitente, persistente leve, moderada e grave), a asma ocorre por uma mescla de fatores genéticos (um dos pais tem ou já teve asma) e ambientais (exposição a alérgenos como odores fortes, poeira, fumaça, mofo, ácaros, pelos de animais, infecções virais respiratórias, entre outros), tendo ainda, como fatores de risco, a obesidade e pertencer ao sexo masculino.

É muito importante buscar um diagnóstico assim que perceber os sintomas a seguir, pois crises frequentes levam à perda de capacidade pulmonar.

Sintomas:
– Tosse prolongada
– Chiado no peito
– Dificuldade respiratória
– Falta de ar

A manifestação da doença é mais frequente pela manhã ou à noite e, consequentemente, os asmáticos tendem a sofrer com insônia, cansaço diurno, faltas escolares e no trabalho.

Para saber se uma crise é grave, preste atenção se a pessoa está com muita falta de ar, não consegue falar direito, os músculos do pescoço e as narinas estão pulsando, o ritmo cardíaco está acelerado e há suor abundante. Em caso positivo, busque socorro urgente.

Segundo a Iniciativa Global contra a Asma (GINA, da sigla em inglês), só no Brasil, três pessoas morrem diariamente em decorrência da doença. Dados do DATASUS apontam que é a 4ª maior causa de hospitalização no país, com 300 mil internações anuais, que custam aos cofres públicos cerca de R$ 537 milhões.

Asma X Bronquite

Muita gente confunde asma (também chamada de “bronquite asmática”) com bronquite crônica. A diferença é que a bronquite tem tosse contínua e úmida, com eliminação de catarro, quadro que piora com a mudança de posição corporal. Em crianças, em geral é provocada por vírus e bactérias e permanece mais de três meses por ano, ocorrendo por, no mínimo, dois anos consecutivos.

Está em dúvida? Consulte um médico. O diagnóstico da asma é clínico e, por ser uma doença crônica, não tem cura. Mas isso não significa que é um “caso perdido”. A asma é reversível e pode ser controlada com uso de medicamentos, acompanhamento médico e atitudes diárias que manterão as crises esparsas e, a vida, mais leve. Se cuidar faz bem.

Veja AQUI hábitos e cuidados para evitar crises de ASMA.

Siga-nos ou curta este Post
error0

Não somos um seguro ou plano de saúde

https://www.linkedin.com/company/filoo/Não somos um seguro ou plano de saúde

Termos de uso

Política de privacidade

Termos de uso

Política de privacidade
Política de privacidade

Warning: Use of undefined constant blog - assumed 'blog' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /var/www/html/wp-content/themes/filoo/single.php on line 174

Filóo - Todos os direitos reservados