Dia do Amigo – Benefícios da amizade

Dia do Amigo – Benefícios da amizade

O que faz você ser amigo de alguém? Afinidade de gostos, ideias e valores, simpatia, um propósito em comum? Por outro lado, o que faz você escolher alguém para amigo? Confiança, acolhimento, energia boa, inteligência, generosidade? Já se sabe que os efeitos de boa amizade vão muito além do bem-estar emocional. Inúmeras pesquisas mostram que construir vínculos de afeto é tão importante para o ser humano que interfere até na saúde.

Amigo faz bem para o coração. Literalmente. Em 2001, pesquisadores da Duke University Medical Center estudaram os efeitos das amizades em 430 pacientes com problemas cardíacos. Eles descobriram que pessoas com menos de quatro amigos corriam duas vezes mais risco de morrer do que aqueles com quatro ou mais.

Na pesquisa também foram avaliados fatores psicológicos e ambientais como estresse, status social, renda, tabagismo, hostilidade e a gravidade inicial da doença e, para a surpresa dos pesquisadores, nenhum deles estatisticamente foi responsável pelo aumento da taxa de mortalidade entre os pacientes “solitários”. Outra curiosidade: segundo o estudo, a partir de quatro amigos não importou o número de pessoas, os benefícios de sobrevida dos pacientes foi o mesmo. Ou seja: mais vale quatro bons amigos fiéis do que uma dezena de conhecidos!

Amigo é tão bom que ajuda até a regular nosso peso na balança. É verdade! Você já ouviu falar dos neurônios-espelho? Eles nos fazem imitar inconscientemente gestos e atitudes de quem estiver a nossa volta. Experimente bocejar numa sala cheia de gente, para ver. Logo várias pessoas estarão bocejando.

Baseados nessa premissa, os sociólogos Nicholas Christakis e James Fowler, professores de Harvard e da Universidade da California (USA) publicaram, em 2009, o livro “Conectados: O Poder Surpreendente de Nossas Redes Sociais e Como Modelam Nossas Vidas”. Nele, relatam um estudo do governo americano em Massachusetts onde, ao longo de 55 anos, 53 mil pessoas foram monitoradas para medir os índices de arteriosclerose. Foram coletados vários dados como: casamentos, separações, mudanças de endereço, laços de amizade, tabagismo, ganho e perda de peso, até índices de humor e felicidade.

Os autores notaram que há uma relação direta de mudanças físicas e comportamentais em uma mesma rede de amigos. Aí entra analogia do espelho. Quando alguém se torna obeso, amigos diretos dessa pessoa têm 45% mais risco de engordar. E os amigos destes, 20% mais chances de ganhar peso. E não termina aí: como uma rede contagiosa, os amigos destes últimos também correm 10% mais risco de ficarem mais pesados.

Outro fator de “contágio” é o tabagismo: um amigo fumante aumenta 61% a chance de você fumar, 29% o risco de um amigo seu começar e 10% de um amigo dele ir pelo mesmo caminho. Escolha bem suas amizades!

Agora, bom mesmo é saber que, se chegar à terceira idade cercado de amigos, você tem a chance de viver mais. É o que descobriram pesquisadores da Universidade Flinders, em Adelaide, na Austrália: manter boas amizades na velhice influencia mais na expectativa de vida do que ter a família por perto.

A pesquisa iniciou em 1992 e foi feita com 1.500 pessoas acima de 70 anos. Ao longo de uma década foram analisados como fatores sociais, de saúde e de estilo de vida afetaram suas taxas de sobrevivência. Constatou-se que o contato próximo com parentes teve pouco impacto, mas as pessoas que mantiveram forte rede de amigos demonstraram estatisticamente 22% mais probabilidade de estarem vivos ao final do estudo do que aqueles com fraca interação social.

A mesma pesquisa coletou dados do Estudo Longitudinal de Envelhecimento da Austrália (ALSA) e revela que, além de aumentar a expectativa de vida, amigos podem incentivar os idosos a cuidarem de sua saúde e ajudar a reduzir os sentimentos de depressão e ansiedade em momentos difíceis.
20
E, para finalizar, você sabia que se um amigo próximo está feliz, a sua felicidade aumenta em 15,3%? Que tal hoje mesmo ligar para alguém querido e fazer o dia dele (e o seu) mais feliz?

Siga-nos ou curta este Post
error0
Já pensou em cuidar da sua saúde sem gastar muito?

Já pensou em cuidar da sua saúde sem gastar muito?

Sim, é possível. A filóo tem um novo conceito de saúde, onde cuidar das pessoas com qualidade, acessibilidade e de forma integrada é a nossa principal missão. E agora usufruir dos benefícios filóo está ao seu alcance, venha fazer parte.

Confira os benefícios:
– Médicos particulares de qualidade, com preços acessíveis
– Até 85% de descontos em medicamentos
– Até 20% de descontos em exames e vacinas
– Orientação de saúde 24h (equipe de enfermeiras especializadas prontas para tirar suas dúvidas)
– Tudo por apenas R$7,99 (mensal, por pessoa).

Como funciona?

Através do aplicativo da filóo, você escolhe a especialidade médica que deseja, o período e a localização. Seu pedido será encaminhado a médicos particulares e você será orientado para o atendimento.

Após a consulta, nossas consultoras ajudarão você a relembrar as orientações médicas, esclarecendo dúvidas, e a encontrar descontos em farmácias e laboratórios parceiros. E o melhor: você pode usar o sistema quantas vezes precisar para ter certeza de que sua saúde está em dia.

Como faço para me cadastrar?
1. Para se cadastrar, acesse: https://www.cuidarfazbem.com.vc/
2. Clique no botão “Faça parte”
3. Preencha os dados (importantes para o cadastro de desconto nas farmácias e laboratórios)
4. Você será redirecionado(a) para a página de pagamento de R$7,99 (mensal, por pessoa) e, após preencher as informações pedidas, é só aguardar o e-mail de confirmação e boas-vindas para ter acesso ao aplicativo, aos descontos e todos os benefícios filóo.

A compra pode ser feita para você e sua família. Lembramos que ainda não contemplamos a especialidade Pediatria.

Como faço para ter descontos em medicamentos e exames?

Quando você se torna paciente filóo, você tem acesso imediato à carteirinha digital através do aplicativo. Com ela você pode apresentar na rede de farmácias e laboratórios parceiros para garantir o desconto. Vale lembrar que a porcentagem de desconto é de acordo com o tipo de medicamento e em alguns medicamentos não possui desconto.

“Atendimento de qualidade, uma equipe maravilhosa que acompanha o dia a dia do paciente, médico muito atencioso, sou paciente da filóo e só tenho que agradecer pelo tratamento prestado por todos, superrecomendo!”, elogia Margareth Rolim, cliente filóo.

Acesse https://www.cuidarfazbem.com.vc/ e faça parte hoje mesmo. Filóo, saúde que cabe no bolso.

Siga-nos ou curta este Post
error0
Alimentação para ajudar o intestino funcionar

Alimentação para ajudar o intestino funcionar

Você já leu nosso artigo “Conheça seu intestino”? CLIQUE AQUI Lá você fica sabendo que caminho os alimentos percorrem dentro do seu organismo ao longo das etapas da digestão, como funciona e para que serve esse órgão tão importante do corpo humano. Agora, entenda o que você deve fazer para que seu intestino trabalhe com excelência e você tenha uma melhor saúde digestiva e maior qualidade de vida.

Veja no que investir e o que evitar:

Líquidos
O seu intestino ama líquidos, especialmente água: é algo imprescindível para seu bom funcionamento, para hidratar, ajudar na formação das fezes e eliminação de toxinas.

Invista: Beba no mínimo 2 litros de água por dia. Sucos naturais, de preferência com o sumo da fruta e não adoçados artificialmente. Boas opções são frutas com bastante água em sua consistência como melão, melancia, laranja e mamão.
Evite: Risque da sua dieta refrigerantes e sucos de caixinha ricos em açúcar, conservantes e substâncias químicas que detonam as bactérias do bem, que habitam sua macrobiota (flora intestinal), abrindo espaço para que as bactérias perigosas se multipliquem.

Frutas
Frutas são muito bem-vindas à alimentação, contudo algumas “soltam” e outras “prendem” o intestino em função das suas fibras. As fibras insolúveis em água ajudam a aumentar o bolo fecal e aceleram o intestino (soltam). Já as solúveis reduzem a absorção de gordura (prendem).

Para “soltar”, invista em: banana d’água, banana nanica, mamão, manga, acerola, abacaxi, damasco, kiwi, jaca, abacate, figo, laranja e mexerica (coma com bagaço), uva passa e ameixa seca, também conhecida como laxante natural.
Para “prender”, invista em: banana-da-terra, banana-maçã, banana-prata, maçã e pera (sem cascas), caju, limão e goiaba.

Invista em Hortaliças & Cia
Hortaliças e legumes: (de preferência com a casca): alho, cebola, beterraba, batata doce, pepino, berinjela, brócolis, aspargos, alcachofra.

Verduras: preferencialmente cruas como alface, agrião, rúcula, chicória, espinafre, repolho, acelga, almeirão, escarola.
Leguminosas: feijão, lentilha, grão de bico, soja, vagem, ervilha.

Farinhas e cereais
Invista: farelo de aveia, farelo de trigo, gérmen de trigo, linhaça, chia, pão integral, arroz integral.
Evite: Cereais refinados, arroz branco, amido de milho, polvilho, biscoitos (inclusive a bolacha “água e sal”), pães brancos, farinha de mandioca.

Chocolate
Invista: Chocolates com 70% de cacau.
Evite: Chocolates ao leite e versões ricas em açúcar podem causar gases (doces em geral podem prejudicar o bom funcionamento do seu intestino).

Leites e derivados
Invista: Iogurtes e leites fermentados com adição de lactobacillus e bifidubactérias, que são os chamados alimentos probióticos com micro-organismos vivos que beneficiam a flora intestinal.
Evite: Leite integral, queijos gordos como parmesão, provolone, gorgonzola, roquefort.

É bom ressaltar que cada organismo tem respostas e necessidades diferentes quanto à alimentação. Para montar uma dieta adequada ao seu tipo físico e estilo de vida, marque uma consulta com um nutricionista através do aplicativo da filóo. É prático, rápido e cabe no seu bolso. Invista na sua saúde!

Siga-nos ou curta este Post
error0
Dia da Saúde Ocular

Dia da Saúde Ocular

Você já foi a um oftalmologista? Muitas pessoas só incluem um exame de olhos na rotina quando detectam alguma alteração de visão. É bom lembrar que há doenças oculares assintomáticas, ou seja, você não sente nada até o quadro ficar grave. E já não há nada mais a fazer.

Para alertar sobre a importância de manter a saúde dos olhos em foco, 10 de julho foi eleito como o Dia Mundial da Saúde Ocular, uma iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira para zerar as causas da cegueira evitável até o ano 2020.

Segundo a OMS, de cada dez ocorrências de perda de visão, oito poderiam ser evitadas se descobertas precocemente. Dentre as doenças responsáveis por 75% dos casos de cegueira estão o glaucoma, a retinopatia diabética, sendo a catarata a maior causa de cegueira reversível. Só no Brasil, há mais de 1,2 milhões de pessoas sem visão.

Nós, da filóo, aproveitamos a data para convidar você a marcar uma consulta preventiva através do nosso aplicativo. E ficar, literalmente, de olho em qualquer anormalidade, entre elas:


Tipos de doenças

Conjuntivite – Inflamação da conjuntiva (membrana que reveste o branco dos olhos além do interior das pálpebras) além do interior das pálpebras. Pode acometer apenas um ou os dois olhos e a duração variar de sete a 15 dias. Pode ser infecciosa (viral e bacteriana) ou não-infecciosa (alérgica e química).

Sintomas:
Olhos vermelhos, lacrimejamento, irritação ocular, gerando vontade de coçar os olhos, sensibilidade à luz, inchaço nas pálpebras, visão embaçada, sensação de areia ou cisco nos olhos, acordar com os olhos grudados e secreção purulenta ou aquosa.
Ao perceber os sintomas procure imediatamente um médico, devido ao alto risco de contágio, pode ser recomendado o afastamento de atividades externas até a melhora do quadro.

Glaucoma – Ocorre quando há um aumento da pressão intraocular que, ao longo dos anos, danifica as fibras nervosas do nervo óptico. Primeiro, você começa a perder a visão periférica (como se estivesse olhando através de um tubo), depois a visão central é comprometida e, por fim, se não tratar, pode evoluir para a cegueira. Para detectar a doença é preciso um exame oftalmológico minucioso, consulte um oftalmologista com regularidade.

Segundo a Sociedade Brasileira de Glaucoma, 80% dos glaucomas não apresentam sintomas no início da doença, que é crônica e não tem cura, mas grande parte dos casos pode ser controlada com tratamento. Daí a importância do diagnóstico precoce e das consultas preventivas. Idade avançada, hipertensão ocular, miopia elevada, raça negra e hereditariedade são fatores de risco.

Catarata – Lesão no cristalino, lente natural do olho (localizada atrás da íris) que filtra os raios de luz para formar a imagem. A pupila torna-se esbranquiçada. O diagnóstico é feito através de exame pelo oftalmologista.
Sintomas: visão duplicada, sensibilidade à luz, imagens distorcidas, visão embaçada (como se houvesse uma névoa).

A catarata é uma doença congênita ou adquirida decorrente, principalmente, do envelhecimento (a partir dos 50 anos), mas ocorre em bebês por problemas genéticos ou como decorrência de rubéola, sífilis ou toxoplasmose na gravidez da mãe. Outras causas: diabetes, colírios, inflamações intraoculares, excesso de radiação, traumas. O único tratamento é a cirurgia.

Miopia – De perto, tudo normal. De longe, fora de foco. A visão turva ocorre quando as imagens formam-se à frente da retina. O diagnóstico é feito por um oftalmologista, e há três tipos de tratamento: o uso de óculos, lentes de contato e cirurgia a laser. Sintomas: dor de cabeça, fadiga ocular, pestanejar.

Hipermetropia – Ao contrário da miopia, quem sofre de hipermetropia enxerga bem de longe, mas de perto tudo fica desfocado. Ocorre quando a imagem se forma depois da retina. Antecedentes familiares, diabetes, medicamentos e tumores na região dos olhos são fatores de risco.
O diagnóstico é feito através de exames oftalmológicos e o uso de óculos, lentes de contato e cirurgia a laser são corretivos.
Sintomas: dor de cabeça e na região dos olhos, náuseas, visão embaçada.

Astigmatismo – Nesta doença, por irregularidades na córnea, a imagem se forma em eixos diferenciados, ocasionando distorção na visualização tanto de perto quanto à distância. Frequentemente, é hereditário, podendo surgir em paralelo à miopia e à hipermetropia. Após exames, é indicado o uso de lentes, óculos ou cirurgia pelo oftalmologista.
Sintomas: visão desfocada, linhas e contornos indefinidos, dor de cabeça, olhos cansados.

Presbiopia – É comum ocorrer a partir dos 40 anos, a chamada “vista cansada”. Com o passar dos anos, o cristalino fica menos flexível, menos capaz de aumentar a sua espessura e, por consequência, menos apto a focalizar objetos próximos, criando a chamada presbiopia. Os óculos ou lentes ajudam a compensar essa dificuldade.

Separamos algumas dicas para você cuidar bem da saúde dos olhos, invista:
– Lave bem as mãos antes do contato com os olhos
– Inclua frutas e verduras ricos em Vitamina A na sua alimentação (como cenoura e mamão), e a alimentos com ômega 3 (linhaça, salmão, atum, por exemplo)
– Use cosméticos que não irritem os olhos
– Não compartilhe toalhas de rosto, lenços demaquilantes, delineadores, rímel e outros produtos de beleza
– Nunca se automedique, nem se tratando de colírios
– Use óculos de sol com proteção UV
– Se trabalha em frente a um monitor, faça pausas de hora em hora e olhe para um ponto distante
– Não fume e tenha hábitos saudáveis
– Consulte o oftalmologista pelo menos 1 vez por ano (sobretudo se tem mais de 40 anos)

Não deixe para depois. Através do aplicativo da filóo, agende sua visita preventiva ao médico. Se cuidar faz bem.

Siga-nos ou curta este Post
error0
Conheça seu Intestino

Conheça seu Intestino

Bate a fome. Você vai até a fruteira, pega uma maçã, lava, dá uma mordida. Em poucos minutos, sua missão está cumprida, volta aos seus afazeres e vida que segue. Externamente, está tudo calmo, mas você tem ideia da revolução que está ocorrendo dentro do seu organismo?

No caminho que o alimento faz pelo seu sistema digestivo, através das etapas da digestão até a saciedade e a efetiva nutrição, há um órgão de extrema importância: o intestino. É ali que se dará a operação do que o corpo irá aproveitar e o que descartará. Mas é muito mais que isso.

O caminho da comida
Tudo começa na boca, onde a mastigação reduz os alimentos para que, com a ajuda da saliva, a deglutição seja facilitada. Literalmente, goela abaixo, o alimento é empurrado por movimentos peristálticos involuntários através do canal do esôfago até o estômago. Ao chegar lá, num processo de pré-digestão, receberá uma chuva de sucos gástricos com enzimas que transformarão o bolo alimentar em quimo. E iniciará o processo de digestão das proteínas. Tudo dissolvido, próxima etapa?

Funções do intestino
Constituído de dois segmentos, delgado e o grosso, o intestino é responsável pela absorção dos nutrientes e, posteriormente, pela produção do bolo fecal. É basicamente a fábrica de reciclagem do seu corpo.

Intestino delgado – Dividido em três partes (duodeno, jejuno e íleo), é a primeira “parada” do alimento depois de passar pelo estômago. Ali o bolo alimentar (quimo) cai numa extensa “esteira” (entre 6 e 9 metros de comprimento) com paredes revestidas de mucosa e vilosidades que vão absorvendo todos os nutrientes, enquanto recebe uma chuva de bile (produzida no fígado) e suco pancreático (do pâncreas), que ajudam a quebrar as moléculas de gordura. Aos poucos, com o auxílio do suco intestinal, o quimo vai se transformando em quilo, “produto” final (líquido) pronto para ser despejado no intestino grosso.

Intestino grosso – Com 1,5 metro de comprimento, dividido em ceco, cólon e reto, no intestino grosso é absorvida a água restante do quilo. Possui uma rica microbiota bacteriana (a famosa flora intestinal) que “quebra” os carboidratos complexos, sintetiza vitaminas e o que mais restar de substâncias aproveitáveis ao organismo. E, finalmente, tudo se transforma em bolo fecal, ou seja, nas fezes, que são expelidas pelo organismo completando o ciclo da digestão. Um ciclo que leva em torno de 12 horas para finalizar.

A importância da flora intestinal

Nosso intestino possui uma verdadeira população de microorganismos (calcula-se 390 trilhões, que representam até 1,5 kg do nosso peso corporal). São bactérias do bem que têm papel de destaque na digestão e, também, no equilíbrio da imunidade, entre outras funções.

Parte importante do processo de digestão, a microbiota é muito mais abrangente do que se imagina. “Há fortes evidências de que elas podem ser determinantes numa parcela da população que vai desenvolver certas doenças da idade adulta e velhice, como obesidade, diabetes ou até mesmo quadros depressivos, em alguns casos”, afirma o Gastroenterologista, Dr. Marcon Censoni A. Lima (CRM-SP 95.746).

A alimentação influencia diretamente a qualidade da microbiota, que se nutre dos prebióticos (não probióticos) encontrados naturalmente em vários alimentos. Em outras palavras, o bom funcionamento do seu intestino depende diretamente do que você come.

Intestino preso

Afastadas causas hormonais e anatômicas do mau funcionamento dos colons (intestino grosso), segundo o Dr. Marcon há basicamente três medidas que você pode adotar para evitar a dificuldade de evacuar, o chamado “intestino preso”:

– Beba mais líquidos (2-3 litros/dia)
– Inclua fibras na sua alimentação (1 prato inteiro de folhas e legumes em cada refeição)
– Pratique exercícios físicos regularmente

Cuide bem do seu intestino e, caso surja alguma dúvida ou precise de orientações, entre em contato com as consultoras filóo. Elas estão preparadas para ajudar você a ter uma vida mais leve e feliz.

Siga-nos ou curta este Post
error0