Zica virus aedes aegypti, o mosquito da dengue, sob pele humana em um fundo amarelo

A dengue é contraída após a picada de um mosquito contaminado. Há registros da doença desde o século XIX e até o presente momento, ainda são altos os números de pessoas infectadas. Por este motivo, o combate à dengue deve se manter intenso e se tornar um hábito.

 

A Origem da Dengue

A dengue é uma doença infecciosa, causada por um vírus que possui quatro sorotipos diferentes (1, 2, 3 e 4). A pessoa que contrair um tipo de sorotipo, não estará imune aos outros três.

A transmissão é feita por meio da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectada. Esse mosquito também é o vetor transmissor da Zika e Chikungunya.

O Aedes aegypti é originário da África e chegou até a América do Sul através dos navios negreiros, no período colonial.

Ao final do século XIX, no Paraná, foram registrados os primeiros relatos da doença, porém, foi documentada clínica e laboratorialmente em Roraima, entre os anos de 1981 e 1982, de acordo com o Ministério da Saúde.

O ciclo da transmissão é: homem infectado com vírus da dengue -> é picado pelo Aedes aegypti -> o mosquito pica um homem sadio e o contamina.

O Aedes aegypti tem coloração preta e listras brancas no corpo e patas. Ele mede menos de um centímetro. Essa espécie tem hábitos diurnos, ou seja, se alimenta, reproduz e põe ovos durante o dia. Os momentos em que se mantêm mais ativos são no início da manhã e final da tarde, e a picada normalmente não é notada, pois não coça e não gera dor.

 

Tipos e Sintomas da Dengue

Após a picada, acontece o período de incubação, que pode durar do terceiro ao 15º dia. Apenas após esse período, que os sintomas aparecem. Os sintomas da dengue podem variar de assintomático até hemorragia e morte.

Há dois tipos de dengue: a forma clássica e a forma grave (dengue hemorrágica).

A Dengue clássica apresenta os seguintes sintomas:

  • Febre alta com início repentino
  • Dor de cabeça
  • Dor atrás dos olhos (piora com a movimentação dos mesmos)
  • Perda do apetite e paladar
  • Náusea e vômito
  • Tontura
  • Cansaço extremo
  • Manchas e erupções avermelhadas na pele
  • Sensação de moleza
  • Dor no corpo
  • Dores articulares e nos ossos

 

Já no caso de Dengue hemorrágica, os sintomas iniciais são os mesmos da dengue comum, com agravo rápido:

  • Dores abdominais fortes e contínuas
  • Vômitos persistentes
  • Pele pálida, fria e úmida
  • Sangramento de mucosas (nariz, boca e gengiva)
  • Sonolência, agitação e confusão mental
  • Hipotensão postural (tontura e/ou queda em determinadas posições)
  • Sede excessiva e boca seca
  • Pulso rápido e fraco
  • Diminuição da pressão arterial
  • Dificuldade respiratória
  • Perda de consciência
  • Acúmulo de líquidos
  • Letargia (perda de sensibilidade e movimentos)
  • Irritabilidade
  • Aumento do fígado (maior que dois centímetros)
  • Aumento progressivo do hematócrito (porcentagem de glóbulos vermelhos ou hemácias no sangue)
  • Insuficiência circulatória
  • Convulsões
  • Choque
  • Morte

No caso da forma grave, a morte pode ocorrer em um prazo de 12 a 24 horas, após o choque. Porém, com a terapia anti-choque correta, a recuperação pode ocorrer e de maneira rápida.

 

Tratamento

Não há medicações específicas que tratem o vírus da dengue, porém, é possível tratar os sintomas. Independente da forma clássica ou grave, deve-se procurar orientação médica.

No caso da Dengue clássica, é recomendado que se faça repouso, com alta ingestão de líquidos (água, suco, água de coco e/ou soro caseiro). Se apresentar a forma grave, deverá seguir internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI).

Você sabia?

Não devem ser usados medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (Aspirina, Melhoral, AAS) e anti-inflamatórios em casos de dengue, pois aumentam o risco de hemorragias.

 

Combate à Dengue

A única forma de prevenir a dengue, é com o combate direto ao mosquito Aedes aegypti ou utilizar métodos que evitem as picadas, pois não há vacina ou medicamento antiviral que evite a contaminação.

O acúmulo de água em locais abertos tornam-se o meio onde há a proliferação desses mosquitos. Com alguns cuidados, torna-se simples combater a dengue:

  • Evite deixar água parada
  • As garrafas devem ser embaladas ou tampadas para que sejam descartadas no lixo, sempre em local coberto, em caso de armazenamento desse material, guardar com o gargalo virado para baixo
  • Os baldes e vasos de plantas vazios também precisam ser armazenados com a boca para baixo e em local coberto
  • Os pratinhos de plantas devem conter areia até a borda
  • As plantas que acumulam água, como as bromélias, têm de ser regadas com uma mistura de água sanitária e água potável (na proporção de 1 colher de sopa para 1 litro, respectivamente) e a água de suas folhas devem ser retiradas semanalmente
  • Os ralos devem ser fechados e desentupidos com frequência; para os que estão fora de uso, tampe-os com telas ou mantenha-os vedados
  • As lajes precisam ser mantidas sempre secas
  • As calhas necessitam de nivelamento e limpeza frequente
  • Os vasos sanitários devem ser mantidos com as tampas abaixadas/fechadas; em caso de pouco uso, dê descarga ao menos uma vez na semana
  • Os recipientes para ração e água de animais têm que ser lavados ao menos duas vezes na semana, com água e sabão
  • Os lixos e entulhos necessitam de limpeza e descarte correto, em locais cobertos
  • Os pneus devem ser furados e entregues aos serviços de limpeza urbanos, se for armazenado, em local coberto
  • Lixeiras, tonéis, caixas d’água sempre fechadas
  • As piscinas deverão ser limpas, sua água filtrada e dosado o cloro. Se não for utilizada com frequência, cubra com lona
  • Suporte de garrafão de água precisam ser limpos a cada troca

Outras formas de evitar a dengue são: colocar telas/mosquiteiros nas janelas, utilizar roupas que protegem a pele de possíveis picadas, utilizar inseticidas domésticos nos ambientes e repelente no corpo, pois evitam o contato direto com o mosquito.

 

Lembre-se que é importante permitir que o agente de controle de zoonoses tenha acesso à residência ou estabelecimento comercial, após confirmação da identificação do mesmo.

O combate à dengue é uma ação necessária por parte de toda a comunidade, afinal, se residências próximas estiverem com foco de dengue, você ou sua família podem ser contaminados. E se houver proliferação do mosquito em sua casa ou comércio, poderá infectar outras pessoas que frequentam a região. Mobilize-se contra a dengue!

 

Referências:
http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/dengue
http://www.dengue.sc.gov.br/
https://www.tuasaude.com/sintomas-da-dengue/
http://www.dengue.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=5
https://www.pfizer.com.br/noticias/Dengue-fique-atento-aos-sintomas-e-saiba-como-se-prevenir
http://combateaedes.saude.gov.br/pt/sintomas
http://www.saude.mt.gov.br/dengue/pagina/417/sintomas-dengue
https://saude.abril.com.br/medicina/dengue-conheca-os-sintomas-e-os-tratamentos/
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *