em um escritório uma mulher está em posição de meditação e relaxamento enquanto um homem bravo segura uma folha atrás dela

O estresse

Diferente do que muitos pensam, o estresse não é o cansaço e a exaustão recorrente de um dia longo de trabalho ou afazeres.

Na verdade, o estresse se trata de um mecanismo fisiológico, que ocorre em momentos em que a pessoa se sente ameaçada, e por isso, ativa o sistema de luta ou fuga, que irá resultar na liberação da adrenalina e cortisol, mesmo que nos dias de hoje não exista a necessidade em tomarmos essas ações. Com isso, toda adrenalina fica sem função em nossa corrente sanguínea.

O estresse pode avançar em quatro estágios:

  • Fase do alerta;
  • Fase da resistência;
  • Fase da quase-exaustão;
  • Fase da exaustão.

O estresse pode ser prejudicial para a saúde, quando está em excesso, a partir da fase de quase-exaustão, ou seja, quando perdemos a capacidade de adaptação, o que irá implicar em respostas físicas e mentais de acordo com os estímulos externos aos quais a pessoa se mantêm exposta.

Porém, não deve ser considerado apenas como algo maléfico para a saúde, pois em sua fase inicial, que é o estado de alerta eleva o ânimo, produtividade, vigor, criatividade e energia. Quando conquistamos a capacidade de manejar o stress entre essas duas fases, conseguimos nos manter dentro dos limiares saudáveis e obter os benefícios citados anteriormente, mas para que isso ocorra, é imprescindível que haja um período adequado de recuperação.

 

Causas do Estresse

O que irá definir se algum acontecimento é um fator estressante ou não, será o significado desse fato e como a pessoa em questão irá conseguir lidar com ele.

Os fatores estressantes podem ser dividir em:

  • Internos: relacionados à personalidade (exemplo: perfeccionismo)
  • Externos: relacionados ao ambiente, mudanças que resultam em adaptações (exemplo: nascimento de um filho, mudança de emprego, doença ou falecimento de pessoas queridas, divórcio, casamento, prisão, aposentadoria, gravidez, problemas com o chefe, grandes conquistas pessoais, entre outros).

O âmbito profissional assim, como a morte do cônjuge pode gerar um alto nível de estresse. Dentre as profissões mais estressantes estão às que lidam diretamente com o ser humano: os médicos, professores, jornalistas e policiais, devido à pressão para que não haja nenhum erro.

 

Sintomas do Estresse

Para que conheça melhor os sintomas de casa da fase do estresse, também, poderá saber em quais aspectos poderá nos afetar:

 

Fase de Alerta do Estresse

  • Sono: Dificuldade em dormir elevada;
  • Sexo: Alto libido;
  • Trabalho: Aumento na produtividade e criatividade;
  • Corpo: Apresenta tensão muscular, taquicardia, sudorese, insônia, falta de apetite, tensão na região da mandíbula, respiração de forma ofegante;
  • Humor: Euforia e irritabilidade.

Fase de Resistência do Estresse

  • Sono: Sem alterações;
  • Sexo: Redução na libido;
  • Trabalho: relação entre a produtividade e criatividade tendem a voltar ao normal;
  • Corpo: Sensação de cansaço mesmo com o sono normalizado (devido ao esforço em resistir ao estresse), problemas de memórias;
  • Humor: tedioso.

Fase de Quase-exaustão do Estresse

  • Sono: Insônia;
  • Sexo: Baixa libido;
  • Trabalho: A produtividade e a criatividade reduzem de maneira significativa;
  • Corpo: Sensação de cansaço e desgaste. Muitos problemas de memória, englobando até situações recentes, queda da imunidade, desenvolvimento de doenças, ansiedade extrema, distúrbios menstruais;
  • Humor: desânimo, redução no interesse em socialização, crise de pânico.

Fase de Exaustão do Estresse

  • Sono: Alto nível de insônia;
  • Sexo: Sem libido;
  • Trabalho: Não consegue mais trabalhar como normalmente, dificuldade na concentração;
  • Corpo: Grande sensação de cansaço e desgaste, desenvolvimento de doenças, como depressão, úlceras, hipertensão arterial sistêmica, diabetes, enfarte, psoríase, entre outro;
  • Humor: isolamento social, apatia e vontade de morrer.

 

Além desses sintomas, também pode-se notar com frequência em qualquer estágio:

  • Ganho ou perda de peso;
  • Dor de cabeça, dores musculares;
  • Tristeza, angústia;
  • Queda de cabelo, problemas de pele;
  • Prisão de ventre ou diarreia;
  • Gripes ou infecções (inclusive ginecológicas);
  • Má digestão, gastrite;
  • Impotência sexual;
  • Bruxismo;
  • Incapacidade no domínio das emoções;
  • Sudorese intensa;
  • Isolamento;
  • Hipertensão;
  • Medo;
  • Roer unhas.

 

Tratamento do Estresse

O tratamento do estresse deve ser direcionado para três pilares: administração dos fatores estressantes, aumentar a resistência ao estresse e trabalhar a maneira como os encara. 

Inicialmente, deve-se identificar é a causa, ou seja, quais são os fatores externos que possam gerar o estresse.

Criar estratégias plausíveis, e colocá-las em prática poderão reduzir o impacto do estresse no seu dia a dia.

Posteriormente, para criarmos resistência aos fatores estressantes, precisamos manter nosso organismo saudável, ou seja, dormir bem, consumir alimentos saudáveis, praticar atividade física, buscar momentos de prazer e relaxamento e evitar substâncias tóxicas ou estimulantes.

Para finalizar, faz-se necessário investir em psicoterapia, para que haja uma evolução na maneira com a qual enxerga os acontecimentos.

Em alguns casos, pode-se fazer necessário um tratamento com médico psiquiatra.

 

Prevenção do Estresse

Para evitar com que o estresse chegue aos estágios avançados onde podem ser prejudiciais para a saúde, tem algumas atitudes que precisam ser tomadas:

  • Aceite o que não pode ser mudado: existem diversas situações que não dependem de uma ação pessoal para que se alterem.

Verifique quais circunstâncias se encaixam nessa descrição e aja de forma à contorná-las, por exemplo, se não tem como fugir do trânsito, que tal colocar uma boa música, para que tempo passe mais rápido?

  • Faça coisas que te agrade: não podemos viver apenas com foco em nossos deveres e responsabilidades, busque atividades que tragam satisfação pessoal, como viajar, passear com a família, brincar com o cachorro, entrar em contato com a natureza, praticar atividade física, entre outros.

Faça uma lista das coisas que mais gosta de fazer e que trazem felicidade, em seguida, escolha duas ou três para que realize toda semana.

  • Comemore as pequenas vitórias: sempre que conquistar algo, comemore, para que o seu foco se mantenha positivo e evite a cobrança pessoal, que sempre te mostrará o que falta atingir ou realizar.

Faça uma lista das suas conquistas e deixe que o lado positivo da vida floresça.

  • Busque desenvolver hobbies que não tenham relação com seu trabalho, para que não haja cobrança (por exemplo, faça crochê, tricô, pintura, atividade física).

 

Referências:
http://www.sbie.com.br/blog/quais-os-sintomas-e-como-acabar-com-stress-emocional/
https://drauziovarella.uol.com.br/entrevistas-2/estresse/
http://www.estresse.com.br/publicacoes/o-percurso-do-stress-suas-etapas/
https://www.jrmcoaching.com.br/blog/voce-esta-estressado-descubra-quais-sao-os-sintomas-de-estresse-no-trabalho/
https://www3.faac.unesp.br/nos/alegria/estresse/sintomas.htm
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *