mural de cortiça possui uma fita vermelha pregada nele e ao seu lado blocos de letras que formam as palavras AIDS e HIV

Estar atento nunca é demais. Não apenas aos sinais do nosso corpo, mas também às situações de risco que podem estar presentes no nosso dia-a-dia.

Sabemos que os bons hábitos podem influenciar na nossa saúde, não é mesmo? E quanto aos hábitos de risco, você sabe identificá-los? Provavelmente a maior parte deles sim. Contudo, nem toda ameaça é tão óbvia assim.

Nas matérias anteriores mencionamos os riscos relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas e cigarro, ao sedentarismo e a outros maus hábitos comuns e muito comentados. Mas e quanto às idas ao salão de cabeleireiro, barbearias, manicures, estúdios de tatuagem e até mesmo de sobrancelha, você sabia que algumas doenças podem ser contraídas nestes lugares?

Para esta possibilidade vale o alerta: suas ações dependem apenas de você. Seja protagonista das suas escolhas e tenha cuidado com os hábitos de risco.

 

Você sabia?

  • Algumas doenças transmitidas por via sexual também podem ser passadas através do contato com sangue contaminado, como ao fazer as unhas, por exemplo;
  • Ao entrar em contato com sangue (pode ocorrer na retirada da cutícula), o pincel do esmalte é contaminado e o vírus da Hepatite permanece vivo no frasco por até 7 dias;
  • Vírus podem ser transferidos para a tinta ao tatuar ou fazer micropigmentação de sobrancelhas caso a agulha utilizada no procedimento seja devolvida ao frasco. O ideal é que o profissional separe em outro recipiente as quantidades que utilizará e faça o descarte do restante após a finalização;
  • Navalhas de corte de cabelo e lâminas de barbear podem causar sangramento. Quando entram em contato com sangue contaminado e são reutilizadas também podem transmitir doenças. Compartilhamento e reaproveitamento de agulhas também;
  • Hoje, no Brasil, a transfusão de sangue raramente transmite doenças;
  • Mães infectadas podem transmitir aos bebês doenças durante a gestação, parto ou amamentação.

 

Não apenas polêmica, mas também ameaçadora, a hipótese da transmissão de doenças por descuido e desconhecimento é pauta para a campanha de conscientização deste mês.

Dezembro Vermelho – Campanha nacional de prevenção da AIDS/HIV e outras ISTs (infecções sexualmente transmissíveis)

As IST, Infecções sexualmente transmissíveis, são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. Assim como seu nome sugere, o contato sexual é a principal forma de contaminação, mas não é o único, como comentamos acima nos parágrafos anteriores.

São várias as doenças transmitidas desta forma e todas são evitáveis. Algumas delas são curáveis, já outras são tratáveis e controláveis. Assim, aqueles que convivem com o diagnóstico podem ter uma qualidade de vida melhor. Além disso, o tratamento e as orientações, quando adequadamente seguidos, são capazes de reduzir as chances de transmissão para outras pessoas.

 

Vamos falar um pouco sobre as ISTs

São várias as doenças transmitidas desta forma, mas em especial, estão destacadas o HIV, as Hepatites B e C, o HPV e a Sífilis, sobre as quais falaremos a seguir:

  • HIV/AIDS: Causadora da famosa “imunidade baixa”, é uma doença crônica e progressiva, porém tratável e certamente prevenível. HIV é o vírus causador da AIDS e ser portador deste vírus não significa necessariamente ter a doença.  Ele pode permanecer incubado (sem ação) no organismo durante 3 a 6 semanas antes de se replicar e começar a agir, sem causar sintomas. A carga viral (quantidade de vírus) pode ser reduzida e se tornar indetectável caso o tratamento seja seguido adequadamente, assim é possível até mesmo engravidar e reduzir a probabilidade de transmitir o vírus. Prevenção e tratamento são gratuitos: preservativos, diagnóstico e medicamentos são fornecidos pelo SUS.

 

  • Hepatites virais: Inflamação no fígado causada por vírus. Os tipos B, C e D são de transmissão sanguínea (contato entre sangue contaminado e sangue sadio).  Seus sintomas normalmente se manifestam quando a doença já está em um estágio mais avançado, podendo causar desconfortos como fraqueza, enjoo, mal-estar e febre. A Hepatite B pode ser prevenida através da vacinação gratuita e estes e todos os outros tipos da doença podem ser evitados por meio do uso de preservativos e do uso individual de objetos que entrem em contato com o sangue (ex.: agulhas, lâminas de barbear).

 

  • Sífilis: Causada por uma bactéria, a doença é transmitida através do contato sexual desprotegido ou durante a gestação quando a mãe está infectada. Se não tratada pode causar lesões graves e até mesmo ameaçar a vida. Na gestação, pode gerar complicações como aborto e má-formação do feto. Além de curável pode ser diagnosticada gratuitamente através da realização de um teste rápido realizado na rede pública de saúde. A testagem é essencial durante o pré-natal, mas a prevenção é ainda mais importante. Assim como as Hepatites, é prevenível através da prática do sexo seguro.

 

  • HPV: Assim como as Hepatites, essa doença é causada por um vírus, o Papilomavírus Humano, e pode até causar câncer de colo de útero, de canal anal e de boca. Sua transmissão ocorre quando há prática sexual sem proteção, até mesmo oral. Normalmente não causa sintomas, mas frequentemente faz com que apareçam verrugas genitais e anais.

Os métodos de prevenção e diagnóstico são fornecidos pelo SUS. É evitável através da vacinação e do uso do preservativo.

 

Serviços gratuitos

Caso queira reduzir os seus riscos de exposição a doenças ou tenha se exposto a algum desses riscos, é possível ter acesso a:

  • Preservativos masculinos, femininos e gel lubrificante
  • Testes convencionais e rápidos de sífilis Hepatites B e C e HIV
  • Tratamento de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)
  • Profilaxia Pós-Exposição Sexual (PEP sexual)

Você pode visualizar a lista completa dos locais que realizam clicando aqui.

 

Previna-se!

  • Use camisinha! Sua distribuição é gratuita em diversos pontos da cidade. É possível encontrá-la em todos os postos de saúde e até mesmo em algumas estações de trem e metrô;
  • Quando for ao salão/estúdio, dê preferência ao uso de materiais descartáveis. Ex.: lixas de unha, agulhas de tatuagem e de micropigmentação, lâminas de barbear;
  • Procure estabelecimentos que esterilizem materiais não descartáveis. Ex.: alicates de cutícula, agulhas de acupuntura;
  • Leve consigo ou solicite o uso individual de materiais não descartáveis e não esterilizáveis. Ex.: Tinta para tatuar e esmaltes.

 

Referências:
www.aids.gov.br
www.prefeitura.sp.gov.br
www.saopaulo.sp.gov.br
https://unaids.org.br/
http://bvsms.saude.gov.br
http://ba.corens.portalcofen.gov.br/
http://www.abhh.org.br/
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *