Médico sentado em uma cadeira de couro preta está de costas analisando um raio-x do tórax humando em uma tela de computador, uma ação comum da telemedicina

Você já pensou em ter acesso a informações de saúde em seu celular ou computador? Quem sabe solicitar um agendamento de consulta ou exame médico? Poder receber notificações tecnológicas sobre sua saúde e prevenção de doenças? Isso é permitido pela telemedicina.

Essa tecnologia é uma subespecialidade da Telessaúde, que envolve todas as atividades compreendidas nos cuidados assistenciais. Esta por sua vez, é resultado dos processos da chamada “e-Saúde”, o termo representa a junção da internet com a saúde, e utiliza informações de saúde e recursos online, como chats, consultorias online e e-mail de profissionais de saúde para leigos.

O Que É Telemedicina?

Telemedicina é quando há o uso de tecnologias de informação e comunicação em saúde. O foco é a prestação de serviços em saúde, informação clínica e educação continuada, e são direcionados tanto para profissionais de saúde, quanto para pacientes.

Existem algumas característica básicas para ampliar o uso, como: distância física entre o médico e o paciente, ambos usufruírem de tecnologia para manter a assistência à saúde, acesso à profissionais da área de tecnologia, para manter e desenvolver a infraestrutura necessária, assim como para criar um sistema em que a comunicação seja possível, sempre em busca preservar a segurança e o sigilo dos dados e serviços disponibilizados.

Essa tecnologia prevê um grande auxílio nos problemas apresentados pelos serviços de saúde, de forma a facilitar o acesso à médicos, melhoria na qualidade da atenção à saúde, melhor relação entre o tempo, diagnóstico e tratamento. Também irá colaborar para controle dos custos. Os melhores resultados da telemedicina são das pessoas que tem o interesse em cuidar de sua saúde, sem que tenham diagnósticos de determinadas patologias.

O objetivo da telemedicina é melhorar a entrega de informação para promoção de saúde e consequentemente, redução dos riscos de desenvolver doenças.

Este tipo de serviço integra hospitais e instituições de saúde, para estimular a atenção primária, ou seja, promoção e prevenção.

Telemedicina no Brasil

No Brasil, iniciou na década de 90, porém, ultimamente, empresas com foco em saúde e medicina, buscam expandir programas de assistência em saúde. E as universidades tem utilizado essa tecnologia com a finalidade de melhorar a educação continuada.

A telemedicina é utilizada de forma segura e legalizada. A partir do ano de 2002, foram criadas normas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que abordam tópicos como: a regularização dos serviços de telemedicina, necessidade do que o médico possua registro no Conselho Regional de Medicina, presença da infraestrutura apropriada, termos de confidencialidade, privacidade e sigilo profissional. É possível consultar esses tópicos por meio da Lei 1.643 de 2002; Lei nº12.842/2013; Resolução RDC/ANVISA n.º 302 e Resolução CFM nº 1.821/07.

 

Como funciona a telemedicina?

Inicialmente são realizados exames nos locais que utilizam o serviço, posteriormente, serão enviados em tempo real para uma empresa de telemedicina, que possuem equipes médicas habilitadas a elaborar laudos de forma remota, independentemente da localização e horário em que a equipe se situa. O que permite grande rapidez na entrega do laudo online ao paciente e a avaliar a qualidade dos procedimentos realizados.

Todo esse processo é realizado em um sistema seguro de gerenciamento de imagens e informações, e utiliza a internet como via de transferência de informações.

Em geral, há equipes multiprofissionais em centrais que prestam serviço de suporte ao paciente, 24 horas por dia. Essa equipe local em conjunto com a equipe médica remota, verificam se há necessidade de algum procedimento ser adotado pelos profissionais presentes no local do atendimento e transmitem essas informações por meio de videoconferências.

 

Em quais áreas a telemedicina pode ser aplicada?

É possível que haja interpretação e laudos dentro das seguintes especialidades:

  • Cardiologia (eletrocardiograma, MAPA, Holter);
  • Neurologia (eletroencefalograma com ou sem mapeamento cerebral);
  • Pneumologia (espirometria);
  • Radiologia Geral (Raios-X, mamografias, tomografias, densitometria óssea, ressonância magnética);
  • Oftalmologia (Acuidade Visual;
  • Dermatologia (Somente com o uso de protocolos específicos).

 

Vantagens da telemedicina

Existem muitas vantagens em utilizar os sistemas de telemedicina, dentre elas, estão:

  • Facilita o acesso à medicina de qualidade;
  • Descentralização do sistema Único de Saúde (SUS);
  • Redução da procura por pronto atendimento em hospitais;
  • Permite a elaboração de pesquisas científicas;
  • Facilita o acesso à cursos educacionais, para profissionais de saúde;
  • Aumenta o contato entre médico e paciente;
  • Auxilia no agendamento de consultas e exames;
  • Intensifica a troca de informações entre os serviços de saúde;
  • Melhora a qualidade e a velocidade com a qual são emitidos os laudos de determinados exames;
  • Associação de médicos bem qualificados e uso de tecnologia de ponta;
  • Mesma confiabilidade dos laudos presenciais;
  • Custo mais acessível aos hospitais que utilizam esse serviço;
  • Maior dinâmica entre os profissionais de saúde (equipes de telemedicina e presenciais);
  • Facilita a continuidade assistencial;
  • Melhora a eficiência dos serviços de saúde.

É sempre importante enfatizar que a ideia da telemedicina não é substituir o atendimento médico, e sim o complementar, de forma que auxilie a superar algumas barreiras entre médico e paciente.

 

Referências 
https://diagrad.com.br/telemedicina/
http://rebrats.saude.gov.br/images/MenuPrincipal/Guia_Avaliacao_telessaude_telemedicina.pdf
http://telessaude.uerj.br/mestrado/
https://exame.abril.com.br/negocios/dino/telemedicina-uma-inovacao-que-leva-tratamento-de-qualidade-a-locais-remotos-do-pais/
https://www.ehcos.com/pt-br/telemedicina-pieza-clave-en-el-futuro-de-la-salud/
http://forumsaudedigital.com.br/como-telemedicina-pode-impactar-saude-digital/
http://www.scielo.br/pdf/csp/v32s2/pt_1678-4464-csp-32-s2-e00155615.pdf
http://www2.unifesp.br/set/o-que-eh-telemedicina
http://portaltelemedicina.com.br/telemedicina-o-que-e-e-como-funciona/
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *