Dia Internacional do Diabético – Esclareça suas dúvidas sobre Diabetes

Dia Internacional do Diabético – Esclareça suas dúvidas sobre Diabetes

O diabetes é uma epidemia global. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença atinge 1 em cada 11 pessoas no mundo. No Brasil, já são 16 milhões, um crescimento de 61,8% de diagnósticos nos últimos dez anos, levando o título de 4º lugar entre os países com o maior número de casos, atrás apenas da China, da Índia e dos Estados Unidos. O mais preocupante? Por falta de controle glicêmico da população, 50% dos diabéticos brasileiros desconhecem que têm a doença. Daí a importância do Dia Internacional do Diabético, um alerta a cada 27 de junho.

Diabetes Mellitus é uma doença crônica caracterizada pelo aumento de glicose no sangue, o que pode provocar danos nos rins, causar cegueira e levar à amputação de membros inferiores (já ouviu falar de pé diabético?), entre outras complicações. Esta doença ocorre quando o pâncreas, órgão importante na produção de hormônios essenciais para nosso organismo, não produz os níveis suficientes de insulina, hormônio que controla o açúcar no sangue, responsável por levá-lo para dentro das células para ser utilizado como fonte de energia para o corpo.

Diagnóstico do diabetes

O diagnóstico pode ser feito através de um exame de sangue rápido e indolor: uma gota retirada de um dedo já mostra se há alteração na taxa glicêmica. Em três minutos sai o resultado primário. Caso positivo, outros exames clínicos e laboratoriais serão pedidos para confirmar o diagnóstico de diabetes e iniciar o tratamento.


Classificação do Diabetes

Diabetes Tipo 1 (DM 1) – Processo autoimune, quando o próprio corpo destrói as células pancreáticas deixando pouca ou nenhuma insulina liberada no corpo, ocorrendo a hiperglicemia. Doença crônica hereditária, geralmente ocorre na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticada em adultos. Diabéticos do tipo 1 precisam tomar insulina diariamente para regular a glicose.

Diabetes Tipo 2 (DM 2) – Ocorre quando o organismo não usa de forma adequada (resistência à insulina) ou não produz a quantidade suficiente de insulina. Geralmente ocorre em adultos, mas pode ser diagnosticada em crianças, e está relacionado ao sobrepeso, sedentarismo e hábitos alimentares pouco saudáveis. Cerca de 90% dos diabéticos brasileiros se enquadram nesta categoria. A boa notícia? Pode ser controlado com atividade física e reeducação alimentar. Em alguns casos, porém, requer a administração de medicamentos.

Diabetes Gestacional – Durante a gestação, devido às mudanças hormonais, o pâncreas altera a produção de insulina e em algumas mulheres esta alteração ocasiona o diabetes. Toda gestante deve fazer o exame de diabetes ao longo do pré-natal, para evitar risco de complicações durante a gravidez e o parto, e do desenvolvimento posterior da doença tanto para a mãe quanto para o bebê.

Pré-Diabetes – Fase anterior ao diabetes, com a glicose alterada, mas não o suficiente para diagnosticar a doença.

São sintomas do Diabetes (porém a maioria das pessoas são assintomáticas):

• Boca seca
• Sede
• Aumento de apetite
• Aumento no número de micções (urina)
• Perda rápida de peso
• Cansaço

Na maioria das vezes, não causa sintoma algum e é diagnosticada somente ao realizar exame de sangue. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, hoje é considerado o diagnóstico no exame de sangue em jejum com valor maior ou igual a 126 mg/dL.

Complicações

As seguintes complicações podem ocorrer caso não exista um cuidado adequado com a saúde, aumentando as chances de uma pessoa desenvolver a doença:

• Problemas renais
• Alterações cardíacas (infarto do miocárdio) e cerebrais (derrame)
• Danos aos nervos (neuropatia)
• Problemas na circulação sanguínea, principalmente nas pernas
• Dificuldade na cicatrização de feridas
• Problemas oculares (glaucoma, catarata, retinopatia).

É muito importante manter um acompanhamento médico regular para:

• Orientação nutricional adequada;
• Evitar complicações (listadas acima);
• Como usar insulina, as canetas ou outros medicamentos;
• Como usar os aparelhos que medem a glicose (glicosímetros) e as canetas de insulina;
• Orientações sobre atividade física;
• Orientações de como proceder em situações de hipoglicemia (açúcar baixa no sangue) e de hiperglicemia.

Para colaborar com a sua saúde, você sabia que alguns medicamentos para diabetes são fornecidos gratuitamente pelo SUS e farmácia popular? AQUI, você pode conferir essa lista de medicamentos.

Além disso, através do aplicativo filóo você pode solicitar sua consulta preventiva com valor acessível e realizar, quando necessário, exames periódicos com desconto, como o de avaliação de taxas de glicose no sangue, sem se privar das vantagens, qualidade e conforto do atendimento particular.

É bom lembrar que praticar atividades físicas regularmente, manter uma alimentação saudável e evitar consumo de álcool, tabaco e outras drogas são atitudes preventivas. Ou seja: obesidade, sedentarismo e alimentação inadequada são agravantes para esta doença.

As filóos, suas consultoras de saúde, estão disponíveis para esclarecer suas dúvidas e orientar o melhor caminho para cuidar da sua saúde, respeitando suas possibilidades, disponibilidade e preferências. Cuide da sua saúde. Se cuidar faz bem.

Siga-nos ou curta este Post
error0
Truques de culinária para quem é diabético

Truques de culinária para quem é diabético

Foi-se o tempo em que ter diabetes significava levar uma vida de privações alimentares e desejos reprimidos por doces. Sim, é verdade que esta doença caracterizada pelo excesso de glicose no sangue, que ocorre quando há deficiência na produção do hormônio insulina pelo pâncreas, demanda atenção especial. Mas hoje há uma variedade extensa de alimentos no mercado que tornam possível ao diabético, com um pouquinho de criatividade, comer de tudo.

Consultamos a Débora Vianna Rossi (CRN3 37893), nutricionista da filóo, que ensina truques para adoçar o dia a dia de quem deve evitar açúcar. Confira:

FRUTAS: As frutas são liberadas, mas todas contêm seu açúcar natural, chamado de frutose. É interessante consumir as de baixo índice glicêmico, que significa que a frutose tem uma absorção mais lenta, o que evita picos glicêmicos. Por exemplo: pêssego, pera, ameixa, goiaba, maçã, laranja (essa três últimas têm fibras solúveis, que ajudam no controle da glicose).

A recomendação sobre o consumo de frutas por diabéticos é ingerir até três unidades ao longo do dia, em horários diferentes. Outra dica que ajuda muito é o consumo em conjunto com alimentos ricos em fibra (como aveia e granola diet), pois retarda a absorção desse açúcar.

CHOCOLATE: Uma boa prática é substituir o achocolatado por cacau em pó. Em barras, opte pelo chocolate diet.

MASSA DO BOLO: Substitua a farinha branca pela integral, farelo de aveia ou de trigo para que a absorção do açúcar presente nos alimentos seja mais lenta.

RECHEIOS: Doce de leite e leite condensado podem ser trocados pelas opções “diet”, mas preste atenção ao rótulo, pois a indicação “diet” nem sempre se refere ao açúcar, pode ser redução de sódio, por exemplo.

ADOÇANTES: Para sobremesas, no lugar do açúcar você pode utilizar stévia ou sucralose, que proporcionam um sabor doce e são isentos de calorias, o que auxilia também no controle do peso.

DICA: É interessante preparar doces e bolos com frutas cítricas para que se mantenha mais facilmente o sabor. Entre elas: limão, laranja, abacaxi, morango, ameixa, maracujá, kiwi.

SUGESTÃO DE CARDÁPIO

A nutricionista da filóo sugere, ainda, um exemplo de cardápio para o dia a dia, mas ressalta: “as particularidades e quantidades vão variar de acordo com cada pessoa. É recomendável ao diabético comer a cada três horas, sempre contendo alimentos ricos em fibras”, recomenda.

CAFÉ DA MANHÃ

– 1 xícara de leite com café e adoçante
– 2 fatias de pão integral
– 1 ponta de faca de margarina

LANCHE DA MANHÃ

– 1 fatia de mamão com aveia (frutas podem ser consumidas tanto no café da manhã, como nos lanches intermediários)

ALMOÇO

– 1 e ½ colher de arroz integral
– ½ concha de feijão
– ½ prato de verduras e legumes
– 1 bife grelhado ou cozido

Uma dica interessante é polvilhar gergelim ou linhaça em cima da cenoura e da beterraba para que o consumo não seja impedido – porém, a ingestão destes dois legumes deve se manter baixa.

LANCHE DA TARDE

– 1 copo de Iogurte diet com 2 colheres de sobremesa de granola diet

JANTAR

– ½ prato de verduras e legumes
– ½ batata doce cozida (a batata doce tem mais fibra que a batata inglesa)
– 1 filé de peixe grelhado

Importante: consulte seu médico para acompanhar seu tratamento e um nutricionista para adequar a sua alimentação ao seu tipo de Diabetes. Se cuidar faz bem.

Siga-nos ou curta este Post
error0