Farmácia Popular e Dose Certa: medicamentos acessíveis

Farmácia Popular e Dose Certa: medicamentos acessíveis

Criado em 2004, o Programa Farmácia Popular do Brasil é uma alternativa de acesso à população a medicamentos considerados essenciais. Em todo Brasil, 31 mil farmácias e drogarias credenciadas pelo Governo Federal (procure o banner oficial “Aqui tem Farmácia Popular” na frente do estabelecimento) distribuem gratuitamente remédios para hipertensão, diabetes e asma. E, com até 90% de desconto, para controle do colesterol, rinite, Parkinson, osteoporose, glaucoma, assim como anticoncepcionais e fraldas geriátricas.

Veja onde encontrar uma Farmácia Popular perto de você

Um direito de todos

Para participar do programa, compareça a uma Farmácia Popular munido de documento com foto que contenha o número do CPF e a receita médica dentro do prazo de validade (365 dias para anticoncepcionais e 180 dias para os demais medicamentos e fraldas geriátricas). As receitas médicas devem conter:

• O carimbo e assinatura do médico;
• O endereço do estabelecimento de saúde;
• A data da prescrição;
• O nome e o endereço do paciente;

Como funciona

No balcão, o atendente irá verificar seus dados e os da receita médica (uma cópia dela será tirada e ficará no estabelecimento). Através do sistema de vendas, validará a entrega do medicamento ou da fralda geriátrica. Serão emitidos o Cupom Fiscal e o Cupom Vinculado, que deverá ser obrigatoriamente assinado, juntamente com o preenchimento do seu endereço (confira bem os dados antes de assinar, pois o Cupom Vinculado será seu controle para adquirir novos medicamentos no futuro). Serão emitidas duas vias, uma para você, outra para a farmácia.

Aquisição da fralda geriátrica

• Você deverá ter a partir de 60 anos ou ser pessoa com deficiência;
• Além do documento de identificação oficial, você deve apresentar a prescrição, laudo ou atestado médico que indique a necessidade do uso de fralda contendo a Classificação Internacional de Doenças (CID);
• Se o usuário não puder comparecer, o representante legal pode.

Você consegue retirar o(s) medicamento(s) com a mesma receita pelo período indicado abaixo:
• Hipertensão – 30 dias
• Diabetes – 30 dias
• Dislipidemia (colesterol) – 30 dias
• Asma – 30 dias
• Rinite – 30 dias
• Parkinson – 30 dias
• Osteoporose – 30 dias
• Glaucoma – 25 dias
• Anticoncepcionais:
• Etinilestradiol – 25 dias
• Etinilestradiol (0,03mg; levonorgestrel 0,15mg, embalagem múltipla) – 80 dias
• Noretisterona (0,35mg) – 30 dias
• Fraldas geriátricas: 40 unidades a cada 10 dias.

Saiba quais medicamentos estão disponíveis

Saiba quais fraldas estão disponíveis

Dose Certa

Uma versão estadual é o Dose Certa, Programa de Assistência Farmacêutica do Governo do Estado de São Paulo que visa facilitar o acesso a medicamentos da Atenção Básica à Saúde. Como no Farmácia Popular, é necessário apresentar receita médica com a posologia, assinatura e carimbo médico. Dependendo da medicação, a validade é de 30 dias ou até 180 dias a partir da data da emissão.

Saiba quais são os medicamentos e onde estão disponíveis, clicando aqui

Atenção: Use medicação somente com orientação médica. Através do nosso aplicativo filóo você pode solicitar sua consulta preventiva com valor acessível e realizar seus exames periódicos com desconto, sem se privar das vantagens, qualidade e conforto do atendimento particular. As consultoras de saúde filóos estão disponíveis para esclarecer suas dúvidas e orientar o melhor caminho para cuidar da sua saúde, respeitando suas possibilidades, disponibilidade e preferências.

Siga-nos ou curta este Post
error0
Mortalidade materna: perdas evitáveis

Mortalidade materna: perdas evitáveis

A cada 1,73 minutos, uma mulher morre, no mundo, em decorrência de complicações na gestação, no parto e no puerpério. A maioria delas, evitável. Você nem terá acabado de ler esta matéria e outra vida terá se perdido. São 830 mortes maternas, todos os dias. Uma média de 216 para cada 100 mil bebês nascidos vivos. São dados da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS). Daí a importância do Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna.

Prevenção salva

Segundo a OPAS, a maioria dos óbitos (quase 75%) decorre de complicações relacionadas à hipertensão (pré-eclâmpsia e eclâmpsia), ao parto, a hemorragias e infecções (sobretudo no pós-parto) e abortos inseguros. Doenças como malária e contaminação pelo HIV na gravidez também estão entre as causas.

Neste contexto, a prevenção, o acesso à informação e a serviços de saúde são fundamentais para salvar vidas. Um pré-natal bem feito, assim como o acompanhamento durante e após o parto reduzem os riscos de morte especialmente em áreas rurais e comunidades pobres de países em desenvolvimento, onde ocorrem 99% de todas as mortes maternas. Para se ter uma ideia, na Suécia são 4 mortes a cada 100 mil nascimentos, no Brasil, esse índice sobe para 64,4 (dados de 2016). Em Uganda, 343.

Ações para diminuir a mortalidade materna

Um somatório de ações é recomendado pela OMS para reverter esse quadro: no pré-natal, a detecção precoce de problemas, preparação e planejamento para o parto. Durante o parto, atenção qualificada, profissionais com treinamento e capacitação técnica, correta avaliação de fatores de risco e reconhecimento precoce de complicações (e saber como agir), acesso a cirurgia obstétrica, monitoração do bebê e realização de intervenções básicas essenciais. No puerpério, assistência qualificada. Em todo processo, ter paciência e empatia. Sim, o bem-estar da mãe é fundamental.

No Brasil, programas públicos e em parceria com a rede privada foram instituídos pelo Ministério da Saúde para melhorar a atenção durante a gestação, dentre eles a Rede Cegonha, que acompanha a mulher da gravidez até os primeiros dois anos de vida da criança, com ações em 5.488 municípios brasileiros, atingindo 2,6 milhões de gestantes. No setor privado, o Projeto Parto Adequado, da ANS, já em sua segunda fase conseguiu diminuir em 8% os considerados altos índices de cesáreas (fator de risco quando não for procedimento indicativo) nos 63 hospitais que aderiram ao projeto em 2017.

Cuidar de si faz bem

Gestantes e mulheres que planejam engravidar também podem fazer a sua parte tomando as rédeas no cuidado com a própria saúde: realizar o pré-natal, comparecer às consultas agendadas, fazer os exames pedidos e suplementação de ferro e ácido fólico. Manter sob controle doenças como diabetes ou hipertensão, que podem ser complicadores na gestação.

Organizar o plano de parto com profissionais capacitados. Buscar informação e acolhimento: é direito da mulher receber um atendimento humanizado no pré-natal, parto e pós-parto.

Entre 1990 e 2015, a mortalidade materna no mundo caiu cerca de 44%. Entre 2016 e 2030, como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a meta é reduzir a taxa global para menos de 70 mulheres por cada 100 mil nascidos vivos. Se cada um fizer a sua parte, a gente chega lá!

Leia AQUI quais os exames que toda mulher deve fazer, ao longo da vida, para manter-se saudável.

Siga-nos ou curta este Post
error0
Saúde da Mulher

Saúde da Mulher

Em 28 de maio comemora-se o Dia da Saúde da Mulher. Uma data internacional para enfatizar a importância de um olhar atento à saúde feminina em todos os seus ciclos de vida, da puberdade à pós-menopausa.

A ideia surgiu em 1987, uma proposta da Rede Latino-Americana e Caribenha de Saúde da Mulher (LACWHN) que, junto com a Rede Global Feminina pelos Direitos Reprodutivos (WGNRR) lançaram uma campanha global pela melhoria da saúde destas que desempenham papel crucial no apoio ao bem-estar social, físico e econômico de suas famílias: as mulheres.

Mas estas que cuidam de todos também precisam cuidar de si. Câncer de mama e no colo do útero, endometriose, infecção urinária, fibromialgia, depressão, diabetes, hipertensão e obesidade estão entre as principais doenças femininas que, quando detectadas e tratadas precocemente, geram mais qualidade de vida e redução de mortes.

Exames preventivos

Sob a orientação da Dra. Bianca Zulli, ginecologista e obstetra da filóo, listamos os exames preventivos de rotina que devem estar sempre em dia na agenda de quem ama cuidar e se cuidar:

Papanicolau – PARA QUE: Prevenir câncer de colo de útero. O QUE: Exame citopatológico, detecta lesões e diagnostica o câncer do colo do útero antes dos sintomas, aumentando as chances de cura. QUEM DEVE FAZER: Mulheres a partir de 25 anos ou que já tiveram atividade sexual.

Mamografia – PARA QUE: Diagnóstico precoce do câncer de mama. O QUE: Exame por imagem que detecta células anormais na mama. QUEM DEVE FAZER: Mulheres a partir de 40 anos e, se tiver histórico familiar de parente de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) com a doença, a partir de dez anos antes da data que a parente teve câncer (exemplo, se teve aos 45 anos, fazer com 35 anos).

Ultrassom de mama – PARA QUE: Detecta alterações mamárias como nódulos, cistos, secreções nos mamilos, espessamento do tecido mamário, entre outras. O QUE: Feito com aparelho ultrassom. QUEM DEVE FAZER: Para mulheres sem histórico de problema mamário, uma vez por ano a partir dos 25 anos. Após os 40 anos, indicado após a mamografia para complementação de avaliação.

Ultrassom transvaginal – PARA QUE: Avaliar a situação do útero e dos ovários. O QUE: Exame feito com uma sonda envolta em preservativo, diagnostica doenças como endometriose, pólipos endometriais, miomas, tumores e, em caso de gestação, indica gravidez nas trompas ou fora do útero e o desenvolvimento do embrião. QUEM DEVE FAZER: Toda mulher que já iniciou atividade sexual (é contraindicada para pacientes virgens) e gestantes.

Densitometria óssea – PARA QUE: Detectar precocemente a osteoporose e a osteopenia. O QUE: Exame radiológico por imagem. QUEM DEVE FAZER: Mulheres a partir de 65 anos, com deficiência estrogênica com menos de 45 anos e na peri e pós-menopausa com fatores de risco. “Entrou na menopausa, aumenta o risco de osteoporose”, alerta a Dra. Bianca Zulli.

– Triglicerídeos: PARA QUE: Mede a concentração de triglicérides, um tipo de gordura, no sangue. O QUE: Exame de sangue (hemograma), detecta a hipertrigliceridermia (assintomática), que pode ser fator de risco cardiovascular, problemas de tireoide, diabetes, doença renal ou hepática. QUEM DEVE FAZER: A partir dos 20 anos, deve-se fazer este exame a cada cinco anos.
– Colesterol total e frações: PARA QUE: Medir o colesterol. O QUE: Hemograma, detecta o risco de enfarto ou AVC. QUEM DEVE FAZER: Mulheres a partir dos 30 anos, ou em qualquer idade e tempo, se houver fatores de risco e histórico familiar de colesterol alto.

– Glicemia: PARA QUE: Diagnosticar diabetes. O QUE: Hemograma, mede o nível de açúcar no sangue. QUEM DEVE FAZER: Mulheres acima de 45 anos, a cada 3 anos, ou em qualquer idade e tempo, se houver fatores de risco para a doença.

– Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e sorologia: PARA QUE: Diagnosticar HIV/Aids, sífilis, clamídia, herpes genital, hepatite B. O QUE: Hemogramas. QUEM DEVE FAZER: Toda mulher que já iniciou atividade sexual.

– Creatinina: PARA QUE: Avaliar a função dos rins e diagnosticar possíveis doenças renais. O QUE: Hemograma ou exame de urina. QUEM DEVE FAZER: Sempre que pedido pelo médico, para avaliar a capacidade de filtração renal.

– TGO e TGP (enzimas): PARA QUE: Avaliar a função hepática (fígado). O QUE: Exame de sangue, identifica doenças do sistema hepatobiliar e do pâncreas, alerta para infarto de miocárdio e miopatias. QUEM DEVE FAZER: Sempre que pedido pelo médico.

– Exame de urina: PARA QUE: Diagnóstico de doença renal, diabetes mellitus, hipertensão arterial, doença hepática, gonorreia, infecção urinária, entre outros. O QUE: Coleta de urina para análise em laboratório. QUEM DEVE FAZER: Exame de rotina anual.

Além dos exames regulares, adotar hábitos saudáveis de alimentação e praticar atividades físicas são fundamentais para proteger a saúde. Invista em você. Se cuidar faz bem.

Siga-nos ou curta este Post
error0
Hipertensão Arterial

Hipertensão Arterial

A Hipertensão Arterial é uma doença tão relevante no Brasil que até ganhou uma data especial: 17 de maio. É a doença crônica mais prevalente entre adultos e idosos, atinge um em cada cinco brasileiros (cerca de 36 milhões de pessoas) e mata quase 50 mil pessoas por ano.

Mais comum entre as mulheres e pessoas com sobrepeso, a conhecida “Pressão Alta” é silenciosa, raramente dá indícios da sua presença e, por isso, é perigosa. Sintomas costumam aparecer apenas quando a pressão está, de fato, muito elevada. Assintomática ou não, pode gerar complicações graves como acidente vascular encefálico (AVC ou derrame cerebral), infarto do miocárdio (ataque cardíaco), aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca.

O que acontece no organismo

Para entender o que acontece com quem é hipertenso, compare o coração e os vasos sanguíneos com uma mangueira aberta. Se taparmos sua ponta, a água fará com que a pressão interna aumente. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue aos vasos estreitados, a pressão sobe. A pressão alta faz com que o coração precise de um esforço maior do que o normal para distribuir o sangue pelo corpo.

Procure um médico se você ou alguém que conhece estiver sentindo um ou mais desses sintomas:

• Dores no peito
• Dor de cabeça
• Tonturas
• Zumbido no ouvido
• Fraqueza
• Visão embaçada
• Sangramento nasal

Prevenção: sua melhor aliada

Dentre os “inimigos da saúde”, os maus hábitos ocupam o topo do ranking como uma das principais causas da alta pressão e fator de piora desta e de outras doenças. A boa notícia? É possível modificar este quadro. Para isso, aplicar mudanças no dia a dia é fundamental. Seja você o protagonista da sua saúde:

• Pratique atividade física regularmente;
• Evite fumar e ingerir bebidas alcoólicas em excesso;
• Cuide da sua alimentação, consuma menos gorduras e sal (sódio) nas suas refeições;
• Minimize o estresse na sua rotina;
• Realize consultas, check-ups e exames para medir a pressão sanguínea regularmente, ao menos uma vez por ano.
Controle e tratamento da hipertensão arterial

Mesmo causando graves consequências, apenas a minoria dos hipertensos controla a pressão arterial e faz o tratamento adequadamente. Quando este controle é devidamente realizado e bons hábitos são adotados é possível manter-se realmente bem e evitar complicações. É importante reforçar que o uso de medicações não deve ser iniciado ou interrompido sem orientação médica.

Benefícios filóo

Através do aplicativo da filóo, com o seu login e senha você pode solicitar uma consulta preventiva com valor acessível e realizar exames periódicos com desconto, como o de aumento de pressão arterial, com as vantagens, qualidade e conforto do atendimento particular. As filóos, suas consultoras de saúde, estão disponíveis para esclarecer dúvidas e orientar o melhor caminho para cuidar da sua saúde, respeitando suas possibilidades, disponibilidade e preferências.
Mantenha sua pressão sob controle e tenha uma vida plena e saudável. Se cuidar faz bem.

Clique aqui e conheça Histórias reais Filóo

Siga-nos ou curta este Post
error0